Ayrton Senna: Minha vida passada como monge tibetano

10 março 2017
A entidade de Ayrton Senna: “Eu amo a velocidade, o elemento velocidade na vida e também de controlar a velocidade e estruturá-la. Velocidade para mim é o símbolo de toda a vida que se move, da evolução que cria um futuro em torno de si, o Grande Movimento.”

A apresentaçao na biblioteca do livro: “Ayrton Senna: Minha vida passada como monge tibetano”

10 março 2017
O livro holandês "Vlinders kunnen niet Dadelen en Dalels kunnen niet Vlinderen" foi oferecida em 22 de março de 2011 na ‘Casa de Curaçau’, em Haia, ao Vice-Ministro Plenipotenciário do país de Curaçau, o Sr. Humphrey (Pim) Senior. A tradução português brasileiro do livro é intitulado: "As Borboletas não podem Tamarar e as Tâmaras não podem Borboletear: Genética de uma carreira interna e externa", será oferecida à Viviane, a irmã do falecido piloto de Fórmula 1, Ayrton Senna, pouco tempo depois a presentação em Curaçau.

O treinamento…uma experiência excitante e apaixonante

10 março 2017
A carreira de cada indivíduo, uma impressora, um corredor de revezamento, cientista ou político começa já em uma vida anterior, assim Martien Verstraaten traz a nossa atenção. A vida anterior do piloto brasileiro de Fórmula 1 Ayrton Senna como um monge tibetano, descrito na quarta leitura deste livro, é um exemplo significativo disso. Em quatro palestras tendo como abertura a carreira interior, ele nos leva através de seu pensamento de volta para as fontes nas quais se baseia.

Martien tem ousadia de enxergar além daquilo que é permitido pelo nosso código

10 março 2017
Eunice Tabacoff, ex-professor de ‘Teoria psicanalítica’ na Faculdade de Psiquiatria – Universidade Federal da Bahia (UFBA), Brasil. Psicanalista, Coordenadora dos “Seminários Interdisciplinares em Psicanálise”

“É interessante observar o trabalho de um vidente."

Noites celestiais com as Deusas da Salsa e do Tango

9 março 2017
Em tempos de noites de baile,
o céu descendeu à terra,
quando espíritos incorporam bailadores,
e bailadores seguem estes espíritos,
como o baile é a religião da noite.

Sobre a origem de Arte Contemporâneo por meio das Memórias de Vidas Passadas

25 fevereiro 2009
Como sabemos, ‘Natura Artis Magistra' é o mestre das artes, mas também é a força da natureza, que sempre procura o seu próprio caminho."

O médium holandês Martien Verstraaten falou com a entidade do Ayrton Senna

10 março 2017
Elisangela Rodrigues de Alencar entrevistou Martien Verstraaten. Conheça o livro "As Borboletas não podem Tamarar e as Tâmaras não podem Borboletear - Genética de uma carreira interna & externa", do escritor Martien Verstraaten. Uma entrevista exclusiva com o escritor Martien Verstraaten. Uma introdução com o autor do livro "As Borboletas não podem Tamarar e as Tâmaras não podem Borboletear - Genética de uma carreira interna & externa", Martien Verstraaten. Uma discussão sobre escrever, editar, publicar e seus novos projetos

Deuses, Anjos da Guarda e espíritos brasileiros

10 março 2017
Palestra "Deuses, Anjos da Guarda e espíritos brasileiros", na UOC – Universidade de Curaçau mr. dr. Moises Frumencio da Costa Gomez. Curaçau, Antilhas Holandesas.

O Despertar da Intuição e dos Poderes Internos adormecidos

10 março 2017
Palestra "O despertar da intuição e de poderes internos adormecidos", em Auditório do CESEC – Centro de Estudios Sócio – Económicos / Casa do Comércio. Salvador da Bahia, Brasil.

Cássia Candra: Intérprete da transformação

10 março 2017
Como seria a Terra se pelo menos a metade dos seus seis bilhões de habitantes tivesse desenvolvido habilidades paranormais? A capacidade de antever acontecimentos, de potencializar talentos de .vidas passadas e contatar seres de outras dimensões não é fruto de um delírio coletivo, mas um dom adormecido que o sensitivo holandês Martien Verstraaten desperta nas pessoas. Esta é a função de um treinador espiritual.

O beco sem saída de cinco presidentes dos Estados Unidos

9 março 2017
Nem todo mundo tem a sorte de morrer de morte natural durante o sono. Nem todo mundo tem a infelicidade de morrer por causa de metástase disso besta chamado câncer. Nem todo mundo é abençoado pelos deuses para tomar o último ônibus em paz acompanhados por familiares ou amigos. E há muitos que morrem golpeado pela mão de um assassino ocasional, embora quatro presidentes dos Estados Unidos morreram desta forma desde 15 de abril de 1865. Após o destino de Abraham Lincoln, James Garfield, William McKinley e John F. Kennedy, número cinco é, ao que parece surreal, historicamente vago.